Adoramos a perfeição, porque a não podemos ter; Bernardo Soares

Adoramos a perfeição, porque a não podemos ter; Bernardo Soares

Adoramos a perfeição, porque a não podemos ter – Bernardo Soares – Fernando Pessoa

Adoramos a perfeição, porque a não podemos ter; repugná-la-íamos se a tivéssemos. O perfeito é o desumano porque o humano é imperfeito.

O ódio surdo ao paraíso — o desejo como o da pobre infeliz de [que] houvesse campo no céu. Sim, não são os êxtases do abstracto, nem as maravilhas do absoluto que podem encantar uma alma que sente: são os lares e as encostas dos montes, as ilhas verdes nos mares azuis, os caminhos através de árvores e as largas horas de repouso nas quintas ancestrais, ainda que as nunca tenhamos. Se não houver terra no céu mais vale não haver céu. Seja então tudo o nada e acabe o romance que não tinha enredo.

Para poder obter a perfeição fora precisa uma frieza de fora do homem e não haveria então coração de homem com que amar a própria perfeição.

Pasmamos, adorando, da tensão para o perfeito dos grandes artistas. Amamos a sua aproximação do perfeito, porém o amamos porque é só aproximação.

Livro do Desassossego por Bernardo Soares. Vol.II. Fernando Pessoa.

Mais de Fernando Pessoa:

Senhor, que és o céu e a terra, e que és a vida e a morte!

Autopsicografia

Gratidão

Não digas nada

Num meio-dia de fim de Primavera

O amor é uma companhia

Sossega Coração! Não Desesperes!

2 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: