Ao fim – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Ao fim – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Ao fim – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Despeço-me da tarde ao fim do dia
seguindo, entristecido, pela estrada…
O sol se põe, seguindo na jornada
sem forças pra vestir a fantasia.

É Carnaval… Minh’alma vai cansada
sequer atenta à noite em euforia;
a marcha é solidão, sem a alegria
da tua carne à minha recostada.

Brincamos nosso baile ainda a pouco
e me banhei de ti se como um louco
a embriagar-me da tua pele em chama…

Não te demores, Colombina, eu peço…
É teu o amor que tenho em mim, confesso,
e quero-te de novo em minha cama!…

Soneto: Ao fim – Paulo Braga Silveira Junior – Fevereiro/2020

Ao fim – Soneto decassílabo – Paulo Braga Silveira Junior – O autor mantém o blog Poesia em Sonetos e você também pode adquirir E-Books clicando aqui.

Ao fim – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior – Outros Sonetos

Roubaste

Intuição

Escultural

Destempera

O tempo

Confesse

Poesia, Poema e Soneto! – Especiais

Por que quereis (Camões)

Por que quereis, Senhora, que ofereça
a vida a tanto mal como padeço?
se vos nasce do pouco que mereço,
bem por nascer está quem vos mereça.

Sabei que, enfim, por muito que vos peça,
que posso merecer quanto vos peço;
que não consente Amor, que em baixo preço
tão alto pensamento se conheça.

Assi que a paga igual de minhas dores,
com nada se restaura, mas devei-ma,
por ser capaz de tantos desfavores.

E se o valor de vossos servidores
houver de ser igual convosco mesma,
vós só convosco mesma andai de amores.

Hermafrodita (Alma Welt)

Tenho dentro em mim teu grande falo,
Guardando-o assim sofregamente.
Percebo que preenchida, assim, me calo
E deixo-me vagar em minha mente

Por espaços ancestrais onde fui una
Plena e rica, em glória e harmonia
Com a divindade que punia
E que agora o instinto coaduna.

Hermes e Afrodite, ou mesmo Artêmis
Em ti projeto o lado que sobrou
Quando partida fui, perdendo o pênis,

Restando tão somente este pouquinho
Que teima em querer o que faltou
E busca completar-se, tão sozinho…

4 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: