Entrelaçar

Entrelaçar

Entrelaçar

O entrelaçar de mãos inesperado
foi mais que um mero toque de emoção;
prevaleceu a voz do coração
sem que o momento fosse planejado!…

Também se entrelaçaram na paixão
as forças do destino revelado
e, quando demos conta, já instalado
o amor se deu com toda a imensidão.

Tornamo-nos um só, de corpo e alma,
numa vontade enorme… Às vezes calma,
por outras, vendaval de intensa chama…

Do nada começou… Foi de momento
e terminou, nós dois e um sentimento,
no entrelaçar de corpos sobre a cama!

Soneto: Entrelaçar – Paulo Braga Silveira Junior – Maio/2020

Outros Sonetos e Poemas

Inquieta

Passa uma borboleta

Dia

Aconchego

Todas as cartas

Provocação

Poesia em Sonetos

Banner para Blog 110 sonetos paulo braga

Poesia, Poema e Soneto

INSCRIÇÃO (Farid Félix)

Aqui, sob este chão de aspecto rude,
sem legenda nem cruz, nesta morada,
alguém jaz para sempre em quietude,
a alma de antigas mágoas aliviada.

Foram-se-lhe a esperança malograda
e, vãos, os sonhos bons da juventude.
Sofreu, mas de alma firme e devotada
às belezas da vida e da virtude.

Descansa agora em paz sob este chão,
que, adormecidos nossos desatinos,
veneramos de calmo coração.

Aqui, à tarde, quando o sol se vai,
ao dobre melancólico dos sinos,
de alma ajoelhada vem rezar meu pai!

E DEUS DISSE AO POETA (Farid Félix)

Ao poeta disse Deus: “Vai, peregrino,
e cumpre as tuas árduas caminhadas,
e canta e que teu canto seja um hino,
mas de esperança às almas desoladas.

Vai e canta com teu verbo cristalino,
sejam dias de sol, ou de nevadas,
que este é, na vida amarga, o teu destino:
florir de sonho todas as estradas”.

Apóstolo do sonho e da esperança,
o poeta partiu, em doce calma,
à mercê de borrascas e bonança.

E cantou, e ainda canta aos sóis dispersos
toda a beleza que lhe brotou n’alma
e jorra em cataratas dos seus versos.

2 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: