Imaginei – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Imaginei – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Imaginei – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Te imaginei, sob o clarão da lua
que toma o quarto pleno de saudade,
chegando no desejo que me invade
a me abraçar entre as tuas coxas, nua!

Tão quieta a noite… O som cá da cidade
pisando em calmaria o chão da rua
com tal silêncio, enfim, compactua
a caminhar em plena liberdade.

Por fim ouço gemidos, vozes, risos,
suspiros nos enlaces reprimidos,
orgasmos libertando os sentimentos…

Quebrando a solidão que me devora,
tomando o espaço todo à volta agora,
descubro ser, tão só, meus pensamentos!…

Soneto: Imaginei – Paulo Braga Silveira Junior – Março/2020

Poesia em Sonetos

Outros Sonetos

Conheci

Nu

Madrugada

Risco

Chegou-nos

Olhei

Poesia, Poema e Soneto

Soneto de Insônia (Roberto e Carvalho)

Inoportuno, o pensamento, às vezes,
na madrugada insone nos invade,
enchendo o peito inteiro de ansiedade,
vagando em tempos idos, dias, meses…

E, sendo assim, tão íntimo à saudade
(sempre grudados, feito irmãos siameses),
evidencia os gestos descorteses
que o dia esconde em som e claridade.

Na intensidade dessas horas mortas,
qual ventania, vai rompendo portas
e aprofundando o peito em nostalgia,

com inquietude tal que, ao sol reposto,
inaugurada ruga em nosso rosto
sugere um triste e tenebroso dia!

Pro dia nascer feliz (Cazuza)

Todo dia a insônia
Me convence que o céu
Faz tudo ficar infinito
E que a solidão
É pretensão de quem fica
Escondido fazendo fita…

Todo dia tem a hora
Da sessão coruja
Só entende quem namora
Agora vão’bora…

Estamos bem por um triz
Pro dia nascer feliz

2 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: