Pecador

Pecador

Pecador

Com trevas, pecador acostumado
bem como os meus irmãos em todo o mundo
jazíamos no abismo em nós, profundo,
sem crer no amor dos céus nos ofertado.

Assim consideramos como imundo
e transgressor das leis, um condenado,
zombando dEle por crucificado
e vendo-O padecer já moribundo.

Mas Ele nos amou bem mais que à vida
e fez, da morte, Graça concedida
trazendo-nos consigo o seu perdão…

Enfim brilhou-nos luz… Glorificai!
É vivo quem serviu em tudo ao Pai
nos garantindo, ao fim, Ressurreição!

Soneto: Pecador – Paulo Braga Silveira Junior – Abril/2020

Devocionais Vida e Fé

Outros Sonetos

Sussurra

Despiu-se

A mais

Ancorado

Medo

Toques

Poesia, Poema e Soneto

Segundo Dia (Paulo Braga Silveira Junior)

As trevas que te cegam neste dia
são curtas, temporais e passageiras…
Não perca as esperanças costumeiras
na fé que já foi força e tua alegria!…

A morte, nestas criações primeiras,
perdeu poder ali onde jazia
aquele que de amor se fez teu guia
sofrendo, em teu lugar, tuas canseiras!

O instante entre esta cruz, como um respingo,
e a glória a despertar novo domingo
não dura para sempre… Aguarde, então,

e a luz há de raiar clara e bendita
trazendo a vida plena e infinita
se como houvera em ti ressurreição!

Ressurretos (Paulo Braga Silveira Junior)

O instante ora presente nesta vida
nos põe ainda, nos olhos, o amargor,
a sensação de perda, o dissabor,
as lágrimas cruéis da despedida…

Amigos que nos eram de valor,
irmãos, parentes, gente tão querida,
deixando vão a história por cumprida
e em nosso olhar o pranto, enfim, de dor!

Mas eu, teimando a fé que me foi dada,
procuro me focar no fim da estrada,
lá onde o choro dado é o de vitória…

Eu hei de me encontrar com meu irmão
pois creio haver pra nós ressurreição
num corpo revestido, após, de glória!…

3 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: