Pega

Pega

Pega

110 Novos Sonetos

Tem dias que ela é pega na inquietude,
no fogo do desejo e da vontade;
é presa dessa chama que lhe invade
na força e no vigor da juventude!…

Refém, se torna fácil, da maldade
dos homens que lhe roubam tal virtude
e, quando encontra aquele que a desnude,
se entrega sem pudor nem castidade.

Depois é só tristeza, abatimento,
vergonha que lhe acusa e o sentimento
de que nas mãos de tais só fora usada…

Ela é mulher que peca e já nem liga
mas que, dentro do peito seu, abriga
o sonho de ainda ser, um dia, amada!

Soneto: Pega – Paulo Braga Silveira Junior – Junho/2020

Outros Sonetos

Me diga

Sinceridade

Beijo

Vem!

Bordado

Se

Poesia, Poema e Soneto

TROCA (Paulo Braga Silveira Junior)

Tentei a troca, enfim, do pensamento;
mudar o foco do que n’alma anseio…
Busquei assim, e foi por todo o meio,
mutar pela raiz, o sentimento!…

Não tive dentro em mim nenhum receio
pois eis que eu tinha certo o meu intento;
lancei a sorte, livre, pelo vento
pra que de mim se fosse o que alardeio.

Mudei o rumo, o olhar, minha postura,
a fé dentro de mim e até a procura
das coisas que fizeram-se saudade…

Mas não tem cura… És tu que me domina
no jeito teu mulher, voraz, menina,
e quem me traz, eu sei, felicidade!…

LOIRINHA (Paulo Braga Silveira Junior)

O sol brilhando a luz em ti, loirinha,
beijava os teus cabelos com carinho
e desse encanto que eu aqui sublinho
irradiava amor nessa alma minha!…

Olhar matreiro, franja em desalinho,
sorriso que, trazendo paz, me vinha
num corpo que todo o prazer continha
qual fosse, para o meu, o exato ninho.

Por trás desse menina eras mulher
que faz do homem seu o que bem quer
e fui dos teus caprichos mero escravo…

Por fim tomou-me inteiro de paixão
e me perdi de todo o coração
na guerra entre o bom senso que hoje travo!

2 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: