Risco – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Risco – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Risco – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Há risco se me expor; eu sou ancião
com um pé na diabetes e hipertenso…
Me precaver de um fato, então, pretenso
é mais do que um dever: é decisão!

Mas vens a mim coberta de paixão,
sedenta e imersa num querer intenso
que esqueço o grupo em risco a que pertenço
e deixo-me envolver na sedução.

Me acolhes em tuas coxas, teus abraços,
gemendo no prazer dos meus enlaços
e gozas neste amor que eu te confisco…

Não temo te beijar, sugar-te o mel,
pois que, se o teu orgasmo é o meu laurel,
pra te satisfazer me vale o risco!…

Soneto: Risco – Paulo Braga Silveira Junior – Março/2020

Poesia em Sonetos

Outros Sonetos

Chegou-nos

Olhei

Confinado

Seja feita

Sobreviver

De frente

Poesia, Poema e Soneto!

TARA RARA (Graça Nascimento)

Entre o sonho e o cio evidente
Encharcados de água e de vida
Numa só sensação dividida
O plantio da nossa semente

Pra regar outra vez nosso chão
Adubando de corpo o infinito
Misturando o que é são e bonito
Lambuzamos de belo a tesão

Entendendo o nascer dos sentidos
Encontramos os elos perdidos
Decifrando a razão do sentir

Com um riso estampado na cara
Conhecendo a ventura da tara
Num amor sem blefar nem mentir.

FATALIDADE (Graça Nascimento)

Só resolvi fazer pra ti mais um soneto
Pois foram versos o que restou de nós dois
Sei que o antes nunca mais será depois
Mas a poesia ficará, eu te prometo

O que vivemos sempre rimará com vida
Nos separamos com o belo preservado
E eu não vi nenhum momento maculado
O nosso amor, nem mesmo na despedida

Mas apesar de tanto sonho e frenesi
No que me davas e no que eu dava pra ti
Não conseguimos alcançar a plenitude

Teu coração querendo dar o que não tinha
E eu marcando do caminho de onde vinha
Também querendo te dar tudo, mas não pude.

3 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: