Sedução

Sedução

Sedução

É pura sedução; mulher fatal
de olhar, por indiscreto, acusador
que despe qualquer um sem ter pudor
nem medo do que sujo ou imoral!

Quem dá-lhe de atenção sai perdedor
qualquer que seja o jogo principal,
pois que o veneno usado e tão mortal
é o que nos faz gemer sem sentir dor.

De dia é moça santa e recatada;
à noite ela se torna a depravada
na dança do desejo e da cobiça…

Seu corpo é só fervor, paixão, vontade
que vindo a mim, do amor, na intensidade
me envolve, me domina e me enfeitiça!

Soneto: Sedução – Paulo Braga Silveira Junior – Junho/2020

110 Novos Sonetos

Outros Sonetos

Sábio

Abraços

Combustão

Sonhar

Passarinho

Intimidade

Dormes

Poesia, Poema e Soneto

VOZES (Soares da Cunha)

Vozes antigas e misteriosas,
tão distantes, mas claras e perfeitas,
rompendo das searas ondulosas
pelo tempo sagrado das colheitas,

Vozes alegres, plenas, vigorosas,
em louvores e cânticos desfeitas
à Terra Mãe, de entranhas generosas,
numa expansão das almas satisfeitas.

Onde já vos ouvi, ó vozes gratas,
que a mim chegais, puríssimas e intactas,
do fundo do passado e da distância?

Ressôa em vossos cantos a saudade
dos povos e nações da antiguidade,
na plenitude bíblica da Infância!…

ÂNGELUS (Soares da Cunha)

Entre os incensos dos véus crepusculares
Que envolvem no poente a serrania,
Padre Sol, ajoelhado ante os altares,
Reza a longa oração da nostalgia.

Páira uma unção litúrgica nos ares…
Na catedral da Tarde, erma e vasia,
por fim, rompem em côro os seculares
sinos de bronze, lamentando o dia.

Sinos! Quando nessa hora de tristeza,
fazeis vibrar de dor a imensidade,
amortalhando a paz da natureza,

julga-se ouvir, em mística ansiedade,
do Infinito na augusta profundeza,
o próprio carrilhão da Eternidade!

5 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: