Soneto: Amor escondido (Paulo Braga)

Soneto: Amor escondido (Paulo Braga)

Soneto: Amor escondido (Paulo Braga)

Amor, por onde andas escondido
que não te encontro mais como antes era?
Parece não haver quem mais te espera
e o mundo está ficando, assim, perdido!…

O mal que a tua ausência aqui nos gera
é caos num grau insano e desmedido…
O povo se devora, ensandecido,
sem sentimento algum a quem lhe dera.

O engano é o fel do desafeiçoado;
por egoísmo puro e deslavado
o homem busca apenas seu prazer…

Amor, te quero em mim n’alma cansada
e, após te dividir na madrugada,
nos braços da minh’amada adormecer!…

Soneto: Amor escondido – Paulo Braga Silveira Junior – Janeiro/2020

Soneto: Amor escondido (Paulo Braga) – Outros Sonetos

Dançamos

Luz da Lua

Contigo aprendi

No entardecer

Mas como dói

Preciso pra viver

Poesia, Poema e Soneto! Soneto… O que é?

Amor escondido – Estrutura do Soneto

Os sonetos são geralmente produções literárias de conteúdo lírico formados, nessa ordem, por dois quartetos e dois tercetos.

No interior da estrutura do soneto, faz se necessário observar alguns conceitos básicos:

estrofe – verso – métrica – rima

Estrofe e Verso

Importante ressaltar que o verso corresponde a frase ou palavra que compõem cada linha de uma poesia. Enquanto a estrofe é o conjunto de versos de uma das seções do poema.

Assim, de acordo com o número de versos que compõem uma estrofe, elas são classificadas em:

1 verso: Monóstico
2 versos: Dístico
3 versos: Terceto
4 versos: Quarteto ou Quadra
5 versos: Quintilha
6 versos: Sextilha
7 versos: Septilha
8 versos: Oitava
9 versos: Nona
10 versos: Décima
Mais de dez versos: estrofe irregular

Métrica

A métrica é medida do verso a qual corresponde ao número de sílabas poéticas.

No caso do soneto, os versos são geralmente decassílabos, ou seja, compostos de 10 sílabas poéticas, classificados em:

Versos Heroicos: sílabas tônicas nas posições 6 e 10.
Versos Sáficos: sílabas tônicas se encontram nas posições 4, 8 e 10.
Observe que as sílabas poéticas ou métricas diferem das sílabas gramaticais. A “escansão” é o termo utilizado para indicar a contagem dos sons dos versos. Ela é desenvolvida por três regras básicas:

Quando há duas ou mais vogais átonas ou tônicas no final de uma palavra e do começo de outra, elas se fundem, formando uma só sílaba poética, por exemplo: A-ma-da ar-te (4 sílabas poéticas)
Os ditongos são palavras de uma só sílaba poética, por exemplo: meu, céu, viu.
A contagem das sílabas é feita até a última sílaba tônica do verso, por exemplo: “De- tu-do ao- meu- a-mor- se-rei a-ten-to” (verso decassílabo, donde a última palavra do verso “atento” possui sua sílaba tônica no “ten”, e por isso, a última “to” não é contada)
Assim, além dos versos decassílabos, as formas mais conhecidas são:

Redondilha Menor: 5 sílabas métricas; Redondilha Maior ou heptassílabo: 7 sílabas poéticas; Eneassílabo: 9 sílabas poéticas, Hendecassílabo: 11 sílabas poéticas; Dodecassílabo ou Versos Alexandrinos: 12 sílabas poéticas

Rima

A rima é a concordância de sons estabelecida entre as palavras do poema.

No soneto petrarquiano o posicionamento das rimas nos catorze versos, apresentam a composição: abba abba cdc (cde) dcd (cde)

Os quartetos são formados por rimas entrelaçadas ou opostas, de forma que o primeiro verso rima com o quarto, e o segundo com o terceiro.

Por: Daniela Diana

Soneto: Amor escondido – Obra de Paulo Braga Silveira Junior, também encontrada no blog Poesia em Sonetos. Para adquirir obras do poeta, click AQUI.

4 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: