Soneto : O Bem e o Mal (Jordano Paulo da Silveira)

Soneto : O Bem e o Mal (Jordano Paulo da Silveira)

Soneto : O Bem e o Mal (Jordano Paulo da Silveira)

“Quod enum operor non intelligo, non enim quod volo bonum, hoc ago; sed quod malum, illud facio”

Hei chegado, afinal, à grande conclusão
de que no mundo aqui eu nada mesmo sou;
de que, caminho além, em impelido vou
por FORÇA SUPERIOR que tudo rege então.

Não que me falte, enfim, a própria volição,
mas dá-se, muita vez, que em algo imerso estou
e em circunstâncias tais que contra mim me dou
sem me deixar levar por uso da razão.

Dirão, acaso, tal ser caso de loucura.
De si, minh’alma quer e sempre bem procura,
em meio à luta, sim, determinar-me o passo.

A experiência, porém, de PAULO se repete
e, em mim, o que sentiu agora se reflete:
Não faço o BEM que quero – o MAL, que odeio, faço!

Jordano Paulo da Silveira – (1901 – 1976)

Outros Sonetos

Soluços

Total

Erro

Nua

A Ele

A Mulher

4 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: