Suor – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Suor – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Suor – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Suor, calor, imensa agitação
se como o corpo ardesse incontinente
e um pensamento solto displicente
alheio a tal constante inquietação.

Num banho ela se pôs, água corrente,
buscando aliviar-se da tensão
sequer atenta aos toques de sua mão
que dava-lhe o prazer intimamente

e o gozo veio farto, intenso e forte
num refrigério d’alma, por suporte…
Banhou-se aliviada no momento,

mas solidão não cessa a ardente chama
e a noite, novamente, o corpo inflama…
Calor, suor, agitação, tormento!…

Soneto: Suor – Paulo Braga Silveira Junior – Março/2020

Conheça Poesia em Sonetos.

Outros Sonetos

Coroa

À cama

Em frente

De salto

Passou

A encontrei

Poesia, Poema e Soneto!

Página Branca (Glória Salles)

Meu coração se apressa em te lembrar
No raro encanto que teu olhar encerra
O calor do teu afago a me queimar
Restringindo a tortura dessa espera

Deusa de tuas noites, apenas quero
Enlanguescer perdida no teu abraço
Aspirar todo encanto, que com esmero
Ofereces no aconchego do teu regaço

Vem, leva o inverno que em mim mora
Quando da tua ausência, farta me vejo
Traz teu olhar, que meus sentidos aflora

Entontece-me com a fúria do teu desejo
Toma meus sonhos nos lençóis de cetim
Sou tua página branca, rabisca em mim

Seu Calor (Paloma Stella)

Abraças-me com todo o jeito,

Sinto-me mulher de seus desejos.

Entrego-me sem ao menos pensar,

É maravilhoso o sabor de te beijar.

Me aperta por todo o corpo,

E faz minha mente delirar.

Nosso prazer fica pelo ar,

E você já está todo louco.

Fico tonta de tanto sentir,

A força desse nosso amor.

Tudo o que me faz sorrir,

É a intensidade do seu calor.

3 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: