Tempestade

Tempestade

Tempestade

O mar bravio se encrespa na tormenta
até que a fúria seja satisfeita;
então, sereno, ao seu langor se deita
após a tempestade turbulenta!

Teu corpo ao mesmo embate se sujeita
conforme o teu desejo à carne aumenta
e, quanto mais o anseio te acorrenta,
melhor ao nosso encaixe ele se ajeita.

O ventre se encapela em busca aflita
do gozo a despontar que, atroz, te agita
e gemes teu querer e a tua vontade…

Por fim, numa explosão forte e incontida,
te entregas, satisfeita, à paz sentida
anunciando o fim da tempestade!…

Soneto: Tempestade – Paulo Braga Silveira Junior – Maio/2020

Poesia em Sonetos

Outros Sonetos e Poemas

Antes de nós

Vida

Morrendo

Confesse

Não mereci

Olho de Lince

Poesia, Poema e Soneto

O DIA (Ivan Jubert Guimarães)

A cada amanhecer de um novo dia
As esperanças se renovam na mente,
E enchem meu coração de alegria,
Fazendo com que eu siga em frente.

É muito bom a gente ter uma alvorada,
É um renascer, não simplesmente acordar,
Quem dorme até tarde não sente nada,
Acorda, levanta e logo volta a deitar.

Vive mais quem dorme tarde e levanta cedo,
Gente assim está sempre sorrindo,
E vive a vida com coragem, sem medo.

Mas se a preguiça é tua companheira,
E se passas o dia inteiro dormindo,
Estás a perder uma vida inteira.

A NOITE (Ivan Jubert Guimarães)

Quando a tarde cai e o sol se esconde,
E este espetáculo ocorre todos os dias,
Não importa o quando e nem o aonde,
Pára o que estiver fazendo e aprecia.

A beleza da Natureza é grandiosa,
Não existe maior beleza que o luar.
Aquela claridade branca, tão formosa,
Que chega dando-nos a vontade de amar.

A noite perde a escuridão e fica luminosa,
Estrelas surgem deixando a noite mais bela,
É quando eu a vejo chegar toda airosa.

Com seus cabelos negros soltos ao vento
É impossível eu não me apaixonar por ela,
E encher o meu coração de contentamento.

100 Novos Sonetos

5 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: