Toco

Toco

Toco

Eu toco a pele clara do teu rosto
num gesto de ternura e de carinho
e um beijo desce quente um bocadinho
do teu pescoço procurando o gosto!…

Um toque a mais e, então, feliz me aninho
no róseo do mamilo a mim exposto
e gemes no prazer que te é proposto
enquanto o afago segue o seu caminho.

Te assanhas, quando apalpo entre os teus vãos
colhendo do teu mel em minhas mãos,
já pronta e atenta ao cio que te assedia…

Me encaixo em ti, no arfar da excitação,
e gozas cada nota da paixão
que toco, a executar tua sinfonia!…

Soneto: Toco – Paulo Braga Silveira Junior – Maio/2020

Outros Sonetos

O Amor

Tímida

Tarefa

Uma árvore

Selvagem

Tempestade

Poesia em Sonetos

Poesia, Poema e Soneto

INDIGENTE (Luiz Carlos Rodrigues Soares)

Largado, esquecido, tombado no chão,
À margem da vida, total desafio.
Na mente sufoco; no corpo arrepio;
No peito sofrido, infeliz coração.

O vulto que passa se faz arredio,
Cruel, desumano, nem dá atenção
E os olhos já turvos, tremor, solidão,
Num trapo sem carne, num canto sombrio.

Descaso do mundo, tornou-se indigente,
A voz que não fala, na boca doída,
Já tonto delira e a ninguém atrapalha.

A noite é eterna, deixou de ser gente,
Engasgo final, é chegada a partida…
No resto que fica, só falta a mortalha!

TALENTO (Luiz Carlos Rodrigues Soares)

Mexendo na mente, voltando ao passado,
Nos braços da mãe, num sorriso inocente,
Revejo a pequena, vestido rendado,
Dos pais alegria, pra vida um presente.

Helena no mundo, em dezembro encantado,
Menina dos sonhos do olhar comovente,
Futuro brilhante, perfil desenhado,
Cristal precioso num ser diferente.

No gesto elegância, nos contos talento,
Criança que passa e chega à juventude,
Mudança ordenada no seu pensamento.

São novos anseios movendo a atitude,
Na fase da vida, no belo momento,
Dos seus quinze anos, cheia de virtude…

2 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: