Vontade – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Vontade – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Vontade – Soneto (Paulo Braga Silveira Junior)

Vontade de um carinho no teu rosto,
de um beijo em tua boca, apaixonado,
mas tenho que manter-me confinado
e preso em minha casa a contragosto.

Vontade de um abraço do apertado
me vindo na paixão bem nele exposto
a te indicar o ensejo, então, proposto
de ter-te aqui pra sempre do meu lado.

De um beijo em teus pescoço, colo, ventre,
na vulva quente à espera que lhe adentre;
de ouvir-te, de prazer, gemer baixinho…

Rever teu corpo nu, após, fremente
a recostar-se ao meu e ali, dormente,
matar-me a dor de estar aqui sozinho!…

Soneto: Vontade – Paulo Braga Silveira Junior – Abril/2020

Poesia em Sonetos

Outros Sonetos

Vezes

A ti

Imaginei

Conheci

Nu

Madrugada

Poesia, Poema e Soneto

ANGÚSTIA (Florbela Espanca)

Tortura do pensar! Triste lamento!
Quem nos dera calar a tua voz!
Quem nos dera cá dentro, muito a sós,
Estrangular a hidra num momento!

E não se quer pensar! … e o pensamento
Sempre a morder-nos bem, dentro de nós …
Querer apagar no céu – ó sonho atroz! –
O brilho duma estrela, com o vento! …

E não se apaga, não … nada se apaga!
Vem sempre rastejando como a vaga …
Vem sempre perguntando: “O que te resta? …”

Ah! não ser mais que o vago, o infinito!
Ser pedaço de gelo, ser granito,
Ser rugido de tigre na floresta!

CONTO DE FADAS (Florbela Espanca)

Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, Amor!
E para as tuas chagas o unguento
Com que sarei a minha própria dor.

Os meus gestos são ondas de Sorrento…
Trago no nome as letras de uma flor…
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento…

Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é d’oiro, a onda que palpita.

Dou-te comigo o mundo que Deus fez!
– Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A Princesa do conto: “Era uma vez…”

2 Comentários

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: